Após ataques a candidatos, Goiás e Maranhão recebem reforço

A presença de soldados das forças armadas foi solicitada pela Justiça Eleitoral nos estados

O Tribunal Superior Eleitoral (<a href="http://www.exame.com.br/topicos/tse"><strong>TSE</strong></a>) aprovou hoje (30) envio de tropas federais para os municípios de Itumbiara (GO) e São Luís (MA) para garantir a segurança das <a href="http://www.exame.com.br/topicos/eleicoes"><strong>eleições</strong></a> municipais, no próximo domingo (2).</p>

A presença de soldados das forças armadas foi solicitada pela Justiça Eleitoral nos estados. Os militares foram enviados para as cidades após o registro de assassinatos de candidatos e de ataques a locais de votação.

Na quarta-feira (28), o candidato à prefeitura de Itumbiara José Gomes da Rocha (PTB) foi assassinado durante uma carreata de sua campanha eleitoral. Na carreata, também estava o vice-governador de Goiás, José Eliton de Figuerêdo Júnior, que também foi baleado e sobreviveu.

A decisão foi tomada em contrariedade ao parecer do governador de Goiás, que opinou contra o envio dos militares, por entender que as forças do estado podem garantir a segurança do pleito.

No entanto, devido à gravidade do atentado contra o candidato, o TSE decidiu autorizar os envio dos militares. Tropas também serão enviadas para São Luís (MA), onde foram registrados nos últimos dias clima de acirramento entre militantes.

Além disso, segundo o presidente do TSE, ministro Gilmar Mendes, chegaram ao tribunal relatos de ataques criminosos a locais de votação. Segundo o ministro, as autoridades estão tomando providências para garantir a tranqüilidade da votação.

“Temos um quadro de insegurança pública neste momento. Não se trata de algo associado necessariamente ao processo eleitoral”, disse o ministro. O TSE autorizou até o momento o envio de militares para  07 municípios, em 12 estados. O número de cidades que vão receber as tropas será atualizado ainda hoje.