Alvaro Dias quer que PF apure denúncia contra hotel

Dirceu foi contratado para ser gerente do Hotel Saint Peter, com carteira assinada, para receber um salário de R$ 20 mil

Brasília – O vice-líder do PSDB no Senado, Alvaro Dias (PR), cobrou nesta quarta-feira que o ministro da Justiça, José Eduardo Martins Cardozo, determine à Polícia Federal (PF) a abertura de inquérito para investigar as suspeitas de que estaria em nome de um “laranja” a empresa que é sócia majoritária do Hotel Saint Peter, o novo empregador do ex-deputado José Dirceu (PT-SP).

Reportagem do Jornal Nacional, da Rede Globo de Televisão, desta terça-feira, 3, revelou que a empresa foi constituída no Panamá e está em nome de um auxiliar administrativo de um escritório de advocacia sediado naquele país. Dirceu foi contratado para ser gerente do hotel, com carteira assinada, para receber um salário de R$ 20 mil.

Ele foi condenado no processo do mensalão e cumpre pena em regime semiaberto. Dirceu espera autorização da Justiça para trabalhar. De acordo com Dias, a denúncia veiculada é da “maior gravidade” e mostraria “os caminhos da ilegalidade que ligam esse empreendimento hoteleiro em Brasília a uma arapuca no Panamá”.

Ele disse esperar que Cardozo adote um “espírito de desengavetador”, como afirmou nesta terça-feira em audiência no Senado, para “esclarecer os mistérios desta arquitetura de ilegalidade visível”. “Que o ministro convoque especialistas para essa investigação, e eles não terão dificuldades para chegar até os supostos proprietários ocultos desse hotel”, destacou.