Altos preços esvaziam camping holandês em São Paulo

Tradicional marcha a pé dos torcedores holandeses não vai acontecer na partida contra a Argentina

São Paulo – A tradicional marcha a pé dos torcedores da Holanda antes dos jogos da seleção do país não vai acontecer nesta quarta-feira, na partida contra a Argentina, no Itaquerão pela semifinal da Copa do Mundo.

O “Oranje Camping”, acampamento itinerante onde se concentram holandeses em todos os grandes eventos esportivos, chegou ao fim no Brasil melancolicamente nesta segunda. Apenas o staff, cerca de 40 pessoas, permanecerá no local até depois da partida.

Na zona sul de São Paulo, o local chegou a reunir quase mil torcedores no jogo contra o Chile na fase de grupos da Copa do Mundo, mas nos últimos dias esteve esvaziado por causa dos elevados custos no Brasil e não recebeu reservas suficientes para se manter.

“É simplesmente demasiado caro para as pessoas voarem”, disse a um jornal holandês Jocko de Wit, um dos organizadores do camping.

Segundo ele, as grandes distâncias entre as cidades-sede e os altos preços impossibilitaram que os torcedores permanecessem no País até as finais da Copa.

Era esperado um pico de torcedores no camping para a partida contra a Argentina, o que não se concretizou. Nesta segunda-feira, a organização decidiu desmontar as barracas.

“Cem pessoas iam chegar hoje (segunda-feira), mas a organização recebeu a informação de que elas não poderiam vir porque não conseguiram ingresso nem passagem a um preço razoável”, afirmou Paulo Marinheiro, presidente do clube de ex-funcionários da Eletropaulo onde os holandeses estavam acampados desde a estreia na Copa.

Marinheiro disse que no domingo havia no máximo 60 pessoas, quando a média diária nos jogos da primeira fase chegava a 600 holandeses. “A empresa que organiza o camping tem custos e precisava que mais gente viesse.

Eu mesmo fiquei sensibilizado pela desmontagem, já que eles queriam ficar até o dia 12 (véspera da final da Copa). Alguns me falaram que, na verdade, não acreditavam que chegassem às finais e se organizaram só para a primeira fase”, explicou o presidente do clube.

A Real Associação de Futebol dos Países Baixos espera que três mil torcedores holandeses com ingresso cheguem a São Paulo até a quarta-feira. A prefeitura da capital paulista pretende oferecer à torcida um ponto de concentração nas proximidades do Parque da Luz.