Alckmin promulga congelamento de seu salário para 2017

Salários do vice e dos secretários estaduais também serão congelados por mais um ano

São Paulo – O governador de São Paulo, Geraldo Alckmin (PSDB), promulgou o congelamento de seu salário, do vice e dos secretários estaduais por mais um ano.

A prorrogação da lei que aprovou os salários em 2015, e que já havia sido mantida para o exercício de 2016, foi confirmada na quinta-feira e publicada no Diário Oficial do Estado desta sexta-feira, 30. As remunerações permanecem no mesmo patamar durante o ano de 2017.

A medida, afirma o governador, representa uma economia de mais de R$ 400 milhões por ano, pois o congelamento define o teto de vencimento para todos os servidores do Executivo.

A promulgação é assinada pelo governador, pelo secretário da Fazenda, Helcio Tokeshi, pelo secretário de Planejamento e Gestão, Marcos Antonio Monteiro, e pelo secretário-chefe da Casa Civil, Samuel Moreira da Silva Junior.

Alckmin permanece com um vencimento mensal de R$ 21.631,05. O vice-governador ganha R$ 20.549,60 e os secretários de Estado têm um salário de R$ 19.467,94.

Há duas semanas, quando anunciou o congelamento, Alckmin afirmou que a medida representa respeito com quem ganha menos no setor público.

“Quase meio bilhão de reais vai deixar de ser gasto. É evidente que se a gente não consegue dar reajuste a quem ganha menos, não deve deixar subir para quem ganha mais”, afirmou.

Deputados estaduais

Também nesta sexta-feira o governo publicou a promulgação do congelamento dos salários dos deputados estaduais. Os vencimentos aprovados em janeiro de 2016 valem para mais um ano. O salário dos parlamentares está em R$ 25.322,25 mensais.