Os filmes imperdíveis de Cannes que já estão garantidos no Brasil

Pra fugir do mainstream, veja uma lista de filmes de diferentes países, diretores e atores e que deram o que falar na última edição do Festival francês

Sempre procuro assistir aos filmes que estreiam em Cannes. Acho que refletem uma diversidade de atores, diretores e países que dificilmente vemos no circuito mainstream. Algumas produções agradam mais que as outras, mas fato é que sempre trazem novos olhares e referências que enriquecem a experiência no cinema.

Nesse ano, o festival foi particularmente interessante. Pela segunda vez em sua história e a primeira vez em cinco décadas, Cannes premiou uma mulher, Sofia Coppola, na categoria “melhor direção”, e trouxe para sua seleção oficial duas produções da Netflix, bem-recebidas, é verdade, mas não sem polêmica. (Relembre aqui)

Mas vamos ao que interessa: os filmes. Bem, eu dei uma vasculhada na seleção oficial de 2017 e entre em contato com algumas distribuidoras para encontrar os títulos garantidos por aqui. E, olha, deu uma bela de uma lista. Lembrando que muitos dos filmes não contam com trailer ou data de lançamento, mas todos já foram adquiridos e devem, em breve, ser vistos nos cinemas. Veja abaixo.

 “Okja”

Um dos filmes da Netflix que chegaram até a seleção oficial de Cannes, “Okja” foi dirigido pelo sul-coreano Joon-Ho Bong e conta com a maravilhosa Tilda Swinton e o galã Jake Gyllenhaal no elenco.

A história é sobre uma experiência de uma grande corporação em que foi criada uma nova espécie de porco, os super porcos, e os espalhou pelo planeta. Anos depois, a empresa pretende eleger o melhor exemplar dessa espécie, mas não esperava que uma menininha, Mija, (Seo-Hyun Ahn) fosse lutar para evitar que Okja, a porquinha que vive em sua fazenda, seja levada para o torneio.

No Brasil, o filme chega via Netflix e estará disponível para os usuários a partir do dia 28 de junho. Veja o trailer.

“O Estranho Que Nós Amamos”

Esse filme, que deu para Sofia Coppola o prêmio de “melhor direção”, é outro que tem data certa de estreia nos cinemas brasileiros: 24 de agosto. O elenco é estrelado: Nicole Kidman, Kirsten Dunst, Collin Farrell e Elle Fanning.

O suspense/drama conta a história de um grupo de mulheres, entre jovens e adultas, que cuida de um soldado ferido durante as batalhas da guerra civil dos Estados Unidos. A ideia é a de entrega-lo às autoridades, mas algumas passam a demonstrar interesses amorosos pelo rapaz. Trailer, abaixo.

 “Jupiter’s Moon”

Filmado na Hungria e na Alemanha, esse filme tem no enredo uma história atual: fala sobre a chegada de um refugiado sírio à Hungria, país que vem tentando reprimir de todas as formas o fluxo de refugiados que tentam desembarcar na Europa por suas fronteiras.

Ao pisar em solo húngaro, o jovem leva um tiro e é levado para um centro de acolhimento que mais parece uma prisão. Um detalhe sobre ele, no entanto, chama atenção de um médico que tenta ajudá-lo a escapar desse campo para explorar todo o potencial do rapaz.

O filme é dirigido por Kornél Mundruczó (“Deus Branco”, de 2016), e chega ao Brasil pela distribuidora Imovision. Ainda não tem data determinada de estreia e o trailer você pode ver abaixo, com legendas em inglês.

“Based on a True Story”

Cena do filme "Based On a True Story", de Roman Polanski

O novo filme do consagrado, e polêmico, diretor Roman Polanski é outro que tem a estreia garantida no Brasil pela Paris Filmes, embora ainda não tenha data de lançamento nacional. Conta a história de uma escritora que lança um novo livro e conhece uma fã de seu trabalho. As duas passam a ficar cada vez mais próximas, em uma relação que fragilidade emocional.

“Happy End”

Cena do filme "Happy End", de Michael Haneke

Esse é daqueles que não dá para perder: é dirigido por Michael Haneke, um cara cujo cinema não é conhecido pela sua joie de vivre, mas sim pela brutalidade (“Amor”, de 2013, e “Jogos Perigosos”, 1997), e estrelado por Isabelle Huppert, que recentemente concorreu ao Oscar de melhor atriz pelo avassalador “Elle” (2015).

Ambientado em Calais e com o drama dos refugiados como pano de fundo, o filme trata de uma família burguesa francesa, cujos membros colocam os interesses pessoais sempre acima do coletivo. O jornal The Guardian descreveu a produção como “novela satânica”. Então, fica o alerta para que você não se engane pelo título, esse filme promete ser tenso.

No Brasil, será distribuído pela Sony Pictures e ainda não tem data de estreia.

 “The Meyerowitz Stories”

Cena do filme "The Meyerowitz Stories", de Noah Baumbach

Cena do filme “The Meyerowitz Stories”, de Noah Baumbach (Netflix/Divulgação)

Outro da Netflix que eu mal posso esperar é esse dirigido por Noah Baumbach (“Frances Ha”, de 2012, e “A Lula e a Baleia”, de 2005). Tampouco tem data de lançamento no Brasil, mas o serviço de streaming já conta com ele listado entre suas próximas estreias. Considerando que “Okja” estará disponível a partir do fim de junho, eu apostaria que esse título seja exibido no próximo mês.

O elenco é estreladíssimo: Dustin Hoffman, Adam Sandler (cuja atuação impressionou os críticos, fato que me chocou, confesso), Ben Stiller e Emma Thompson, apenas para citar alguns. O filme conta a história da família Meyerowitz, de Nova York, cujo patriarca (Hoffman) adoece, fazendo com que todos tenham de ajudar na sua recuperação.

“The Square”

Cena do filme "The Square", de Ruben Östlund

Esse filme sueco foi o grande vencedor da edição 2017 da Palma de Ouro do Festival de Cinema de Cannes. Dirigido por Ruben Östlund, conta a história de um curador de arte que tem seu celular roubado justo em um momento em que planeja uma exposição chamada “A Praça”, cujo objetivo é o de suscitar nos espectadores o espírito do altruísmo. Pena que viver segundo seus ideais não é algo tão fácil assim quanto se imagina…

No Brasil, o longa chega pela Pandora Filmes e, embora ainda não tenha data confirmada, estreará em breve, segundo a distribuidora.

“The Killing Of a Sacred Deer”

Cena do filme "The Killing Of A Sacred Deer", de Yórgos Lánthimos

Mais um filme com a dupla Nicole Kidman e Colin Farrell no elenco, esse foi dirigido pelo grego Yórgos Lánthimos e recebeu do júri de Cannes o prêmio de “melhor roteiro”.

O longa fala sobre a relação de um médico com o filho de um paciente seu que morreu em uma cirurgia realizada por ele. A dupla se dá bem, mas, na medida em que o menino percebe que a atenção de seu amigo não é tão intensa quanto antes, começa a planejar vingar a morte de seu pai.

Será trazido ao Brasil pela Diamond Films, mas ainda não há uma data de estreia.

 “120 Batidas Por Minuto”

Cena do filme "120 batimentos por minuto", de Robin Campillo

Em 2017, o grande prêmio do júri foi para esse filme francês dirigido pelo marroquino Robin Campillo. O filme se passa nos anos 90 e retrata as atividades da ONG Act Up! que visavam conscientizar a sociedade sobre a prevenção da Aids e a desmistificação da doença e as pessoas por ela afetadas. Aqui no Brasil, o longa será distribuído pela Imovision.

 “In The Fade”

Cena do filme "In The Fade", de Fatih Akin

O filme que deu para a alemã Diane Kruger o prêmio de melhor atriz, “In The Fade” é dirigido pelo alemão Fatih Akin e, assim como outros títulos, traz à tona temas atuais, pertinentes à realidade europeia. No caso dessa produção, o tema é xenofobia e racismo.

Katia (Diane) jura vingança aos neonazistas, depois que um grupo coloca uma bomba no escritório de seu marido e mata toda a sua família. No Brasil, o filme chega pela Imovision e ainda não tem data de estreia. O trailer é de tirar o fôlego e promete momentos fortes de tensão e emoção. Veja abaixo, com legendas em inglês.

“Os Fantasmas de Ismael”

Cena do filme "Os Fantasmas de Ismael", de Arnaud Desplechin

Cena do filme “Os Fantasmas de Ismael”, de Arnaud Desplechin (Festival de Cinema de Cannes/Divulgação)

Outro filme que vem ao Brasil pela Imovision, mas tampouco conta com uma data de lançamento é esse, dirigido por Arnaud Desplechin e com um elenco formado pelas atrizes Marion Cotillard e Charlotte Gainsbourg e o ator Mathieu Amalric.

Amalric é Ismael, um cineasta em franca recuperação amorosa após o desaparecimento de sua esposa Carlotta (Marion). Finalmente envolvido com outra mulher, Sylvia (Charlotte), vê toda a sua vida voltar a enfrentar turbulências quando Carlotta reaparece.

 

Comentários
Deixe um comentário

Olá, ( log out )

* A Abril não detém qualquer responsabilidade sobre os comentários postados abaixo, sendo certo que tais comentários não representam a opinião da Abril. Referidos comentários são de integral e exclusiva responsabilidade dos usuários que escreveram os respectivos comentários.

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s