Zona do euro sairá da recessão a partir do terceiro tri

A economia da região pode alcançar avanço de 1% no ano que vem

Bruxelas – A zona do euro se encontra em uma suave recessão, com uma economia que sofrerá contração de 0,3% em 2012, mas vislumbra uma ligeira recuperação a partir do terceiro trimestre do ano, para alcançar um avanço de 1% em 2013.

No conjunto da União Europeia (UE), o Produto Interno Bruto (PIB) ficará estagnado este ano, mas em 2013 haverá crescimento de 1,3%, segundo as previsões de primavera – no Hemisfério Norte – que a Comissão Europeia publicou nesta sexta-feira para os 27 países do bloco.

As previsões do Executivo comunitário confirmam as perspectivas intermédias para a eurozona e para a UE durante 2012 publicadas em fevereiro, mas revisam em baixa as do ano passado quando a Comissão Europeia ainda previa um crescimento de 0,5% para os 17 países do euro e de 0,6% para o conjunto do bloco.

Além disso, a Comissão Europeia revisa para baixo as previsões que tinha feito para 2013, quando disse que a eurozona cresceria 1,3% e a UE 1,5%.

Neste contexto, a taxa de emprego diminuirá 0,2% na UE e 0,5% na zona do euro em 2012, mas o retorno ao crescimento previsto deve levar gradualmente a uma melhora nos mercados de trabalho durante 2013.

Assim, o desemprego permanecerá em níveis altos durante 2012 e 2013, tanto na eurozona como na UE, ao registrar 11% nos países da moeda comum e 10,3% nos 27 membros do bloco em ambos anos.

O esforço da consolidação fiscal produzirá resultados, segundo a Comissão Europeia, dado que os déficits públicos cairão de 4,1% do PIB para 3,2% neste ano e para 2,9% em 2013 na zona do euro e de 4,5% para 3,6% e 3,3%, respectivamente, na UE.

No entanto, não se leva em conta o impacto que terão as medidas de ajustes e as reformas estruturais atuais e futuras nos dados dos países-membros em 2013.

Enquanto os países-membros da UE reduzirão em conjunto o déficit, o nível da dívida aumentará para 91,8% do PIB na eurozona durante 2012 e para 92,6% em 2013, e subirá para 86,2% e 87,2% no bloco, respectivamente.

A inflação descerá 2,4% neste ano na eurozona e 1,8% no próximo, enquanto na UE cairá até 2,6% e a 1,9%, respectivamente.


As diferenças entre os Estados-membros se mantêm notáveis. Após um primeiro trimestre plano, a economia alemã avançará ao longo do ano até registrar uma alta do PIB de 0,7% em 2012 e de 1,7% em 2013.

A França avançará 0,5% e 1,3%, enquanto o PIB da Itália registrará uma contração de 1,4% em 2012 e um ligeiro crescimento de 0,4% em 2013.

A Espanha permanecerá em recessão até o final de 2012 e experimentará uma contração de 1,8% neste ano e um retrocesso de 0,3% no próximo.

Entre os países resgatados, o PIB da Grécia se contrairá 4,7% neste ano e permanecerá estagnado em 2013.

Portugal sofrerá uma contração de 3,3% em 2012, mas voltará a crescer, ainda que apenas ligeiramente (0,3%) em 2013

Por último, a Irlanda está em uma situação melhor, pois sua economia avançará 0,5% neste ano e 1,9% no próximo.